quinta-feira, março 26, 2015

PRIMEIRA PAGINA - (XII)

JORNAL BEIRA BAIXA
CINQUENTA ANOS DEPOIS.....
 (28 de março de 1965 - 28 de março de 2015)
O ALBICASTRENSE

terça-feira, março 24, 2015

LARGO DO CASTELO




 ZONA HISTÓRICA
DA
TERRA ALBICASTRENSE
Após anos e anos de abandono, o velho edifício que se encontra no largo do castelo foi finalmente recuperado.
Este albicastrense só pode dizer aos responsáveis pela excelente recuperação, que mais vale tarde que nunca, agora, é chegada a altura de dar a este bonito edifício a utilidade anunciada nos jornais da terra albicastrense.

Ou será que vamos assistir mais uma vez, a situações idênticas à do antigo quartel da GNR na rua Vaz Preto?

Edifício onde se gastou quase um milhão de euros para ali implantar o museu do brinquedo (e porque não um museu etnográfico?) e que depois de recuperado, se encontra aos ratos. Ou ainda, a casa recuperada na rua dos Oleiros, edifício onde se colocou à mostra uma belíssima arcada e parte da velha muralha albicastrense, mas que entretanto e independentemente de se ter anunciado para o local um propósito, está igualmente aos ratos.
Palavra que não consigo entender que depois de recuperados muitos dos edifícios onde se gastou uma pipa de massa, fiquem à espera do dia de são nunca à tarde, para que  ali se instalem os projetos anunciados antes da sua recuperação.
Espero muito sinceramente, que o bonito edifício que ilustra este poust, seja colocado à disposição dos albicastrenses e da sua terra o mais depressa possível.
Se assim não acontecer, não estaremos nós mais uma vez perante o deixa andar, que quando houver eleições nós colocamos cá o projeto anunciado?
                                   O Albicastrense

sábado, março 21, 2015

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE NO SÉCULO XVI - (IV)

                              POR: MANUEL DA SILVA CASTELO BRANCO
(Continuação)


(Continua)
 O ALBICASTRENSE

quarta-feira, março 18, 2015

O HIPÓLITO COMENTA XX



Quarenta anos depois, da publicação destes desenhos no antigo jornal “Beira Baixa”, aqui ficam mais dois desenhos do Hipólito.





Desenhos de Amado Estriga. 

Textos de João de Mendonça.
 O Albicastrense

domingo, março 15, 2015

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – XCVI

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade. 
(Continuação)
A sessão imediata realizou-se em 20 de Setembro. Da acta desta sessão só consta o seguinte: "Sendo aprezentada huma ordem do Juiz da Ordem de Nosso Senhor Jazus Christo desta cidade de Castelo Branco em que requeria que nós prosedessemos a lleição de Fabricario da Fabrica Maior do Lugar de Monforte deste termo na forma seguinte:"

Em primeiro lugar nomearão João Baptista Felis por ter em beins de raiz quatro centos réis, he cazado.
Em segundo lugar Francisco João Rufino, o Mosso, por ter em beins de raiz trezentos mil réis e he cazado.
Em tresseiro lugar Felis Marques Barata cazado que tem em beins de raiz quinhentos mil réis. E mais nada do que isto.
Logo no dia imediato, 21 de Setembro, tornou a Câmara a reunir-se em sessão, simplesmente para, em obediência a determinação do Juiz da Ordem de Cristo, “nomiar Fabricario para a Fabrica Maior da Igreja Matriz do lugar de Malpica”.
Nomearam em primeiro lugar Matias Pires de Gama; em segundo lugar, Manuel Fernandes Vicente; em terceiro lugar, Dias Cabaço; mas desta vez indicaram-nos pela ordem do valor dos bens, pois que os bens de raiz do primeiro valiam um conto de réis, os do segundo trezentos mil réis e os do terceiro duzentos mil réis.
(Continua)

         PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais: o que acabaram de ler, é uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
      O Albicastrense

quarta-feira, março 11, 2015

UMA LÁPIDE SEPULCRAL BIFACE

D. VICENTE FERRER DA ROCHA
E
D. JOANA DE MENESES
Tal como prometi, aqui está o poust do livro de Luís Pinto Garcia, sobre o estranho e intrigante caso da lápide sepulcral biface de D. Vicente Ferrer da Rocha e de D. Joana de Meneses. 
Lápide que esteve exposta no r/ch do museu Francisco Tavares Proença Júnior entre 1974 e 2000 e que agora "descansa" na reserva do museu.

O ALBICASTRENSE